segunda-feira, 16 de maio de 2011

Miami e Orlando - A Maratona Disney

Eu e minha family (mais o Tico e o Teco) estamos na Revista Pais & Filhos de abril 2011. E o texto completo e sem cortes está disponível aqui para os leitores e amigos do Café Viagem
...

A maratona Disney.
A viagem é outra com crianças pequenas no circuito
Na minha época (hoje eu tenho 38 anos), Orlando era o sonho dourado de todo o adolescente. De uns tempos para cá, tornou-se um dos destinos mais desejados por pais de crianças pequenas (e eu me incluo nessa categoria). Não sei explicar os fatores que levam tantas famílias a se deslocarem até lá com crianças mal saídas das fraldas. Dólar em baixa? Promoções de passagens? Ansiedade? Seja lá o que for, aposto mesmo é na hipótese de que essa nova geração de pais está mais corajosa e disposta a enfrentar longas distâncias e maiores desafios com filhos a tiracolo. Miami e Orlando, aí fomos nós!


Os quatro passageiros: Catarina, 7 anos; Matias, 3 – quase 4; Alexandra e Luciano, pais quase virgens em viagens ao exterior com filhos pequenos na bagagem.


Orlando, para  tamanhos PP e P
Antes de partir, conversei muito com amigos e com amigos de amigos. É incrível como todos têm uma dica para dar e muitas opiniões e teorias divergentes sobre o destino mais family-friendly da América. A gente fica confuso com tanta informação sobre Orlando (só de hotéis são mais de 450, só de links com a palavra Orlando no Google, 23 milhões). Porém, uma coisa é certa: a viagem é outra para quem vai acompanhado de turistas mirins. É outra batida, outro ritmo; são outras atrações.
Começamos o nosso tour com dois dias de relax total em Miami. Assim, revigorados, demos a largada ao frenético circuito de parques temáticos em Orlando. Nesse trajeto, vários acertos: um belo hotel com a infra-estrutura adequada, certeiras reservas online com antecedência em restaurantes, moderação nos tempo dedicado às compras e uma boa dose de Fast Pass para evitar filas. Atenção, senhores passageiros com destino à cidade da magia do Sr. Walt Disney: crianças P e PP não querem correr a tradicional maratona de filas, compras e atrações de Orlando. Querem mesmo é abraçar o Buzz  (muito mais legal do que o Mickey) e verem seus pais se transformarem em crianças GG.
Acertamos no carro grande. 
Erramos no carrinho. Precisava de dois.
Hospedagem: facilidades e mordomias mirins
Primeiro, o nosso voo fazia um pit-stop em Miami. A gente até poderia seguir de carro direto para Orlando, mas nos permitimos dois longos dias à beira-mar. Para isso, optamos por um hotel dos sonhos e, ao mesmo tempo, super child friendly: o Ritz-Cartlon South Beach. De um lado, o lindo mar caribenho; de outro, a fervilhante Lincoln Rd, uma rua fechada com lojas, restaurantes, galerias, cinemas, teatro e supermercado. No Ritz-Carlton, as crianças são “VIKs” – Very Important Kids! Os mimos vão desde a preocupação de um menu infantil delicioso até a recreação.
Depois, em Orlando, experimentei duas opções de estada com a família: dentro do complexo de Resorts da Disney e fora, nos arredores da Internacional Drive, próximo aos parques da Universal. Alguém aí duvida que dentro da Disney foi o preferido da trupe? É o paraíso, ainda mais acrescentando as facilidades das “villas” – espécie de mini flats, com estrutura básica de micro-ondas, fogão e até máquina de lavar roupas à disposição. Uma das villas mais encantadoras está a poucos passos do Epcot Center, na linda zona do BoardWalk: o Beach Club. O hotel simula uma prainha. O transporte aos quatro parques temáticos é gratuito em qualquer um dos resorts da Disney. Dá para passar a manhã rodopiando em um parque, descansar no hotel à tarde e, se tiver fôlego, voltar à noite para ver os fogos. Já para quem se hospeda fora do complexo, o ideal é escolher um hotel com cozinha, não muito distante das atrações. Ou, ainda, alugar uma das residências em condomínios, como o do Emerald Island, que pessoalmente visitei e recomendo.
Cantinho das crianças na praia /Ritz-Carlton South Beach
Beach Club e Villas do Beach Club
Casa com 5 dorm em Emerald Island
Alimentação e refeições com personagens – a cereja do bolo!
Porque uma minicozinha no quarto é tão essencial? Simples, não é fácil encontrar comidas que agradem ao paladar infantil nos restaurantes americanos, salvo algumas exceções. Perdi a conta de quantas vezes ouvi minha filha falar: “Mãe, tem pimenta” , “Mãe, tá forte”. Para não errar, prefira as massas com molho de manteiga (butter sauce). Uma outra grande saída para a fome infantil ou adulta são as comidinhas prontas e orgânicas do supermercado Whole Foods. Também, quando apertar a saudade por um belo prato de arroz com feijão, você pode recorrer aos honestos buffets brasileiros da Internacional Drive, o Camila’s e o Vittorio’s. Por fim, boas opções são redes americanas como: Olive Garden, Sweet Tomatoes, Tony Roma’s (experimente o milho doce por lá), o Cheesecake Factory (queridinho dos brasileiros, no Mall at Millenia) e o Mimi’s Cafe.
Contudo, nada substitui a combinação de decoração, serviço e experiências únicas oferecidas pelas refeições temáticas dos restaurantes dentro da Disney. Para sentar ao lado da Cinderela ou do Pateta, acesse http://disneyworld.disney.go.com/reservations/dining/  e reserve a sua mesa com meses de antecedência. É emoção na certa para toda a família. Não esqueça do caderninho de autógrafos e da máquina fotográfica. Essa programação já garante belas fotos e evita algumas filas homéricas dentro dos parques para abraçar os protagonistas preferidos dos seus filhos. Entre as refeições mais populares estão: turma do Mickey no Chef Mickey’s (Hotel Contemporary em frente ao Magic Kingdom), princesas no Cinderella’s Royal Table (castelo do Magic Kingdom) e no Akershus Royal Banquet  (Epcot Center) e a turma do ursinho Puff no Crystal Palace (Magic Kingdom). Outros restaurantes divertidos com os pimpolhos são: Coral Reef (pavilhão do Nemo no Epcot Center) e o  T-Rex em Downtown Disney. Quem preferir, pode optar por um “Dining Plan” – espécie de pacote de alimentação dentro do mundo Walt Disney, reduzindo em até 30% os seus gastos com comida. Ah, a grande dica nas reservas pela internet é indicar uma data comemorativa, real ou fictícia (clique em “add a celebration”). Você é agraciado com um tratamento especial, sem pagar um níquel a mais por isso
Almoço no Crystal Palace com a turma do Pooh
Supermercado Whole Foods - comidinhas prontas maravilhosas
T-Rex em Downtown Disney 
Café da manhã Chef's Mickey
Arroz com feijão dos restaurantes brasileiros na Internacional Drive
Salada do delicioso Mimi's
Os parques – menos é mais!
No total, fizemos seis parques em sete dias (os outros dois dias em Orlando foram para compras e passeios). Sim, arrependo- me. Acredito que quatro parques teriam sido mais do que suficientes. As crianças cansaram, e os pais ficaram tontos. Para não ter estresse, vá com calma. Chegue cedo para evitar as multidões. E mais: use e abuse do Fast Pass – o fura-fila com hora marcada em cada atração.
De uma forma geral, os parques mais populares entre os pitocos são: Magic Kingdom, Hollywood Studios, Animal Kingdom e Sea World. Mas, isso não é regra, claro. A minha família, por exemplo, não curtiu o Animal Kingdom, e elegeu como brinquedo preferido da temporada o Soarin – um simulador de voo de asa delta que percorre as belas paisagens da Califórnia - no “adulto” Epcot Center. Para crianças com certa altura, como a minha filhota de quase oito anos, as montanhas russas são a grande sensação. Já os garotinhos, em geral, curtem o Buzz Lightyear’s – com pistola e tudo mais para atirar no Zurg. Minha turminha também adorou os filmes em 3D e 4D de todos os parques (cuidado,  alguns assustam os menores de 5 anos), alimentar os golfinhos no Sea World, brincar nas áreas com playgrounds - especialmente as com jatos de água -,  as paradas com personagens (incluindo a noturna Eletrical Parade) e, finalmente, duas atrações incríveis do Hollywood Studios: o Toy Story Mania e a Voyage of the Little Marmaid. Por fim, acredito que a Universal Studios e a Islands of Adventure têm o perfil mais adolescente, com brinquedos extremamente radicais.
Eletrical Parade no Magic Kingdom
Parade da tarde no Magic Kingdom 
Alimentando os golfinhos no tranquilo Sea World
Brinquedinho 3D do Buzz no Magic Kingdom
Parade do melhor parque na minha opinião: o Holywood Sudios
Atenção para os horários de Fast Pass
O sempre cheio Universal Island
Compras não combinam com crianças.
Os Estados Unidos sem compras não existem. Só que levar crianças pequenas em outlets e shopping americanos é pedir para ter choradeira e incomodação. Fazer o quê, então? A melhor tática é o revezamento. Cada pai tem um tempo determinado para ficar com as crianças no hotel, enquanto o outro se entrega às compras. Vale dar uma conferida antes na internet para verificar as lojas de interesse da família em cada shopping, pois é impossível ir a todos. Gostamos muito do Premium Outlet na Internacional Drive e do sofisticado e agradável Mall at Millenia – em seu entorno estão várias lojas imprescindíveis como: Best Buy (eletrônicos),  Toy’s “R” Us (brinquedos), Super Target (tudo, inclusive alimentação), Old Navy (a irmã barata da Gap) e Ikea (casa e decoração). Afinal, as compras são tradicionalmente a Disney dos papais.
Loja excelente para artigos para casa.
Da mesma família da Gap, só que ainda mais barata.

A simplicidade da resposta das crianças... é a vida e é bonita! Viver!
Durante a viagem, percebi que o que mais encantava os meus filhos não eram os brinquedos tecnológicos ou mirabolantes. Eram, sim, os detalhes e momentos mais simples que você poderia imaginar: banho de piscina no hotel, marshmallows na fogueira, brincar com os bonequinhos novos embaixo da cama do quarto ou encontrar um coleguinha da escola no meio da multidão (e que multidão!). Esses foram alguns dos pontos altos ditos por meus filhos na volta de nossas férias. Tudo bem, não vou negar que as montanhas russas fascinavam minha filha e que as lojinhas deixavam ambos num grau de excitação indescritível. Mas a lição que trago desse sonho realizado é não criar grandes expectativas. Deixa a vida te levar, de preferência junto a simplicidade tão alegre e contagiante das crianças.
A palavra de ordem é "Celebrar"!
Endereços
Ritz–Carlton South Beach – 1, Lincoln Road – Miami Beach / Miami
Beach Club Villas - 1800 Epcot Resorts Boulevard - Lake Buena Vista
Emerald Island - 2751 Emerald Island Blvd, Kissimmee
Supermercado Whole Foods - 8003 Turkey Lake Road, Orlando
Rest. Brasileiro Vittorios  5159 Internacional Drive / Orlando
Rest. Brasileiro Camilla’s – 5458 Internacional Drive / Orlando
Premium Outlet - 4951 International Drive / Orlando
Mall of Millenia- 4298 Millenia Boulevard / Orlando
Alimentação dentro da Disney: disneyworld.disney.go.com/reservations/dining

Pacote básico para a viagem
  • ·     Levar todo o kit de remédios sugeridos pelo seu pediatra.
  • ·      Evitar as temporadas de alta em Orlando (feriados americanos, férias, etc).
  • ·      Carregar do Brasil o leite em pó  (e/ou papinha) que o seu filho está acostumado.
  • ·      Usar e abusar do carrinho de bebê, mesmo com crianças de até 7 anos de idade.
  • ·      Durante o voo, levar guloseimas, bolachinhas e jogos eletrônicos para distrair a turma.
  • ·      Alugar carros grandes - de preferência com bagageiros que acomodem mais de 6 malas.
  • ·      Antes da viagem, entrar na internet para ver o tempo, a programação dos parques, as lojas de interesse e, quem sabe, as promoções nos shoppings.
  • ·      Comprar dois telefones pré-pagos por lá. A comunicação será mais fácil e barata.
  • ·      Ao estacionar o carro nos parques, tirar uma foto do local e placa para facilitar a lembrança na saída.

4 comentários:

Letticia (letticia@terra.com.br) disse...

Post incrível! Parabéns! Várias dicas valiosas. Obrigada.

Alexandra disse...

Oi Letícia
Obrigada. Escrevi mesmo com capricho e coração.
bjs
Alexandra

Anônimo disse...

Este blog já esta em preferidos do iPad... Dicas preciosas
Parabéns!

Alexandra disse...

Obrigada. Mto querido o seu comentário.
Agora, este blog está no www.cafeviagem.com
Por favor, troque nos seus favorigos.
Abs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Site Meter